Truques para remodelações fantásticas em Lisboa

Há uns meses, tive uns problemas muito chatos com as minhas paredes. Para que não surgissem complicações mais graves, contratei um dos primeiros pintores que encontrei na internet. Infelizmente, o profissional fez um trabalho terrível, as tintas eram de péssima qualidade e ainda me cobrou mais do que estava à espera. E por que razão isto me aconteceu? Bem, a verdade é que eu não segui os 3 passos fundamentais para se escolher um pintor de qualidade:

 

Passo 1: Procurar vários profissionais, quer seja na internet, ou através de outro meio, e analisar bem os seus portfólios

Tirem, pelo menos, duas horas para procurarem por pintores (na internet ou através de outros meios, como as páginas amarelas). A vantagem da internet é que conseguem ter acesso aos seus portfólios e websites, assim como a críticas de clientes. Após descobrirem uns quantos, avaliem os seus trabalhos e, claro, todo o feedback que encontrarem.

Passo 2: Pedir vários orçamentos e escolher, com muita ponderação, o pintor que vos dá uma maior segurança

Avaliado o feedback e os portfólios dos pintores, escolham os que mais vos agradaram, contactem-nos e peçam-lhes um orçamento detalhado. Perguntem também em quanto tempo conseguem realizar o trabalho e se já trazem o material consigo. Com todas as informações do vosso lado, escolham o que mais vos transmite confiança. Muitas vezes, o nosso “feeling” é suficiente.

Passo 3: Garantir que, para além de um profissional de confiança, os materiais são de muita qualidade

Contratado o profissional, falem com ele acerca dos materiais que este vai usar. Certamente que, sendo um bom pintor, só irá usar tintas de muito boa qualidade e os pincéis (ou rolos) mais adequados para o tipo de serviço que vai realizar. No entanto, confirmem tudo, até porque podem preferir algo que o profissional não esteja à espera, ou o próprio pode estar habituado a usar um determinado pincel/rolo que vocês nem sequer conhecem. E, como a falar é que as pessoas se entendem, não se esqueçam de esclarecer tudo antes de o serviço arrancar.
Por não ter seguido estes passos, tive consequências muito chatas: voltei a ter que contratar outra pessoa para refazer o trabalho nas minhas paredes, perdi mais tempo e, claro, mais dinheiro. A pressa é inimiga da perfeição, portanto, façam as vossas escolhas com ponderação e só contratem o profissional quando este vos transmitir total segurança para efectuar as pinturas que pretendem.